domingo, 30 de junho de 2013

Morte aos Fundos de Investimento Imobiliários!

João Fonseca / avaliador de imóveis / 919375417Continuou, esta semana, o ataque aos fundos de investimento imobiliário.

Apesar de termos tentado fazer chegar ao Sr. Dr. Paulo Morais o nosso artigo alertando para as afirmações incorretas e porventura demagógicas  que proferiu sobre as isenções de IMI e IMT nos fundos de investimento imobiliário, continuou a sua saga contra estes instrumentos. Desta vez num programa matinal da TVI. Tememos que estas incorreções estejam também vertidas no livro que editou recentemente.

Como se isto não bastasse chegaram as palavras do um candidato a Primeiro- Ministro e líder do maior partido da oposição:

"Como sabem, quem é proprietário de uma casa, paga o IMI, um imposto. Acontece que essas casas têm um valor tributável fiscal superior àquilo que é o valor real dessas casas, porque baixaram muito", justificou.
Perante este cenário, "quer dizer que os portugueses que têm casas pagam um imposto sobre um valor de uma casa que não vale tanto sobre o qual o imposto incide".
"Proponho que o Estado faça uma actualização de modo a que o valor fiscal dessa casa baixe e os portugueses paguem menos IMI", propôs o líder socialista.
Referiu que isso significará "que haverá menos receita para o Estado", mas aponta que a compensação dessa receita "seja feita por aqueles proprietários que têm casas e que não pagam IMI".
"Falo nomeadamente de fundos imobiliários e dos bancos portugueses", concretizou.
Fonte: Jornal SOL

Vamos corrigir mais uma vez o que consideramos ser intoxicação da opinião pública e desinformação.

Existem dois tipos de fundos de investimento: abertos e fechados. Os fundos de investimento imobiliário fechados podem ainda ser de subscrição particular ou de subscrição pública.

Acontece que só os fundos abertos e os fundos fechados de subscrição pública têm isenção de IMI. Recordo ainda que os fundos fechados representam 55,5% do total das carteiras. Seguramente, metade dos fundos de investimento imobiliário pagam IMI!

Com a medida anunciada também o IMI pago por estes imóveis diminui. E assim a receita fiscal.

Recordo aqui Também as palavras de Gonçalo Nascimento Rodrigues no seu artigo em http://out-of-the-boxthinking.blogspot.pt/2012/11/a-machadada-final-nos-fundos_5.html#.UdBkkvlwrQM,:

Em suma, a proposta apresentada pelo líder da oposição pode até ser muito "nobre", fazer sentido num discurso mais populista. No entanto, na prática irá criar enormes constrangimentos às Sociedades Gestoras, aos seus donos (leia-se, os Bancos), à liquidez dos Fundos e, mais que tudo, aos participantes dos Fundos que são os pequenos aforradores Portugueses. Não são os grandes investidores, esses há muito que perderam quaisquer benefícios.

Durante muitos anos os FII abertos foram objeto de investimento de pequenos aforradores, que os viram como boas alternativas aos tradicionais depósitos a prazo.

O que vai António José Seguro fazer quando começar a corrida aos resgates dos FII os bancos, que não os vão conseguir pagar, ficando suspensos?

O que vai António José Seguro fazer quando as poupanças de muitos portugueses ficarem cativas e estes não puderem ter dinheiro para pagar as suas necessidades básicas?


Esperemos que as palavras de ontem as leve o vento! Ou, como pede Medina Carreira, que este país seja governado por uma “dona de casa”, seja na versão feminina ou seja na versão masculina!
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário