domingo, 31 de maio de 2015

Espaço para crescimento!

O nosso agradecimento às grandes consultoras tem sido recorrente, porque estas prestam um “serviço público” de informação ao mercado que é aproveitado por todos. Relembramos, por exemplo, o nosso artigo “Cordeiros com pele de lobo…”.

Vem então a propósito a excelente publicação da PwC, designada “Room for growth”, publicada no passado mês de março (de facto, devemos um pedido de desculpas por só agora a referirmos!).

São apontamentos sobre 20 cidades europeias, com dados, previsões económicas, e rácios de hotelaria.

Antes de iniciarmos a sua leitura pensávamos nas cidades que seriam objeto de referência. Na melhor das hipóteses, apontávamos Lisboa como passível de ser referida.

A nossa melhor expectativa foi superada: quer Lisboa quer o Porto (a novidade, em parceria com Belfast)  são referidas! Demonstra a importância que estas duas cidades têm vindo a revelar, nos últimos anos.

Aconselhamos vivamente a sua leitura.

Levantando um pouco o véu, no artigo de hoje vamos referir uns quantos pormenores sobre o país e sobre as duas cidades:

-A satisfação de ver Portugal com as melhores previsões de crescimento do PIB, com um crescimento previsto de 2,1%, em qualquer um dos anos. Comparando com os treze países referidos, estamos num honroso 4º e 3º lugar. Lembramos que para o conjunto da Eurozone temos um crescimento previsto de 1,1% em 2015 e 1,7% em 2016;

-Uma perspetiva de crescimento do RevPAR de 3,7% e 2,6% para o Porto, 3,1% e 2,6% para Lisboa e 8,8% e 8% para Dublin 8 (1º lugar), respetivamente para 2015 e 2016;

-Uma taxa de ocupação prevista de 67,6% e 68,4% para o Porto, 72,5% e 73,5% para Lisboa e 84,3% e 84,6% para Londres (1º lugar), respetivamente para 2015 e 2016;

-Uma ADR de 65€ e 66€ para o Porto, 86€ e 86€ para Lisboa e 257€ e 261 € para Paris (1º lugar), respetivamente para 2015 e 2016;

-Um RevPAR de 44€ e 45€ para o Porto, 62€ e 63€ para Lisboa e 206€ e 211€ para Paris (1º lugar), respetivamente para 2015 e 2016;

À semelhança dos outros setores de investimento imobiliário, a cidade do Porto ainda está muito longe do que acontece em Lisboa, afirmando-se como cidade periférica.

No entanto, a distância que separa Porto de Lisboa é menor do que a distância que aproxima Lisboa das grandes cidades europeias. 
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário